O Blog da Escorregadela intelectual (versão 2.0)

28
Set 09

Apesar de terem perdido a maioria absoluta e de terem ficado com menos 23 deputados na Assembleia da República, o PS assume o resultado de ontem como uma estrondosa vitória. Contra os ataques pessoais, as dificuldades do país, a conjuntura internacional, o cartão amarelo dado nas Europeias, a Esquerda moderada resiste. Mas ao resistir avança para um futuro mais difícil, um que obrigará a uma diplomacia apurada. Do outro lado da barricada (se é que isso ainda existe), o PSD ficou longe de ganhar, mas até teve um melhor resultado face às eleições anteriores. De derrota não se fala nem se quer ouvir falar, até porque dia 11 temos nova batalha... O CDS passa a terceira força política e senta pela primeira vez 21 deputados. Com ainda menos botões abotoados na camisa, advoga que cumpriu todos os seus objectivos e, carregadinhos de prepotência, procuram posicionar o partido como o grande responsável para o fim da maioria absoluta. O BE dobra o número de deputados e a CDU, apesar de passar a ser a quinta força política, também melhorou os seus resultados. Ninguém assumiu directamente a derrota, o que, vistas as coisas, faz todo o sentido. Afinal, os maiores derrotados somos... nós. Com um governo minoritário, Sócrates dificilmente avancará para uma coligação de esquerda (PS+BE seria a solução preferida dos hardliners rosas caso fosse o suficiente, logo teria de ser PS+BE+CDU), mas não pode ignorar a ameaça PSD+CDS, que juntos representam 99 cadeiras parlamentares. Assim, não será de estranhar que o reeleito chefe do executivo avance por uma via de acordos, de cedências, que provavelmente irão enfraquecer a sua própria governação. Na opinião do VM, a coisa resolve-se de uma forma directa: já que o Paulo Portas tanto criticou a pasta da Agricultura (e que tem efectivamente sido ignorada por cada Governo que passa), era entregar esse ministério ao PP e esperar por resultados.

Mr. White às 12:07

3 comentários:
Pois é no rescaldo da noite eleitoral, 2º acto, pouco se consegue retirar. No entanto, ao contrário do VM, creio que o grande perdedor é MFL, mais do que o PSD. Com efeito, MFL tinha tudo para poder dar a volta a um guião pré-escrito, antes das eleições europeias! Com as eleições europeias, o guião parecia alterar-se e até os maus actores (Pedro Passos Coelho, Luís Filipe Meneses e outros que tais) pareciam estar a decorar as novas deixas para uma realização apoteótico com um "gran finale" o da vitória do PSD nas legislativas, ainda que com maioria relativa. Com efeito, este enredo tinha tudo para ser um blockbuster: PS à deriva com as europeias; os professores a massacrarem diariamente a ministra da educação; ministro da economia a fazer corninhos para a oposição; a crise cada vez a apertar mais os bolsos dos portugueses; a arrogância de José Sócrates, o caso TVI, os casos na Justiça portuguesa, sendo o mais emblemático o Freeport, etc, etc... tudo apontava para uma vitória do PSD, uma vez que trazia um elan de fénix renascida das cinzas depois da vitória nas Europeias. Mas, no PSD pelos vistos quiseram manter o guião original e até acrescentaram algumas deixas mais polémicas para que, mantendo-se o final houvesse alguma história mais picante. E assim conseguiram vir as comadres todas a terreiro falar mal uns dos outros; a elaboração das listas para as eleições foi um ver se te avias no PSD, com os militantes chateados uns com os outros; a Maria José N. Pinto foi um erro de casting tremendo, nunca tendo sido aceite pela massa social-democrata; a manutenção de candidatos arguidos em processos de corrupção também não ajudou; o caso das pseudo-escutas com fontes na Presidência da República veio também dar um ar de sua (des)graça ao PSD. Ou seja, aquilo que MFL tinha alcançado nas europeias, perdeu agora nas legislativas e dificilmente recuperará na autárquicas. Por isso, afirmo, se há grande perdedor, é MFL, mais do que PSD, porque depois das autárquicas, MFL vai ter de fazer um longo caminho no deserto, e o PSD vai a votos novamente!! Quanto aos demais resultados, nota-se que a demagogia ganha votos! PP por um lado, com o seu discurso inflamado, o seu sorriso pepsodente, a sua preparação, conseguiu piscar o olho aqueles que haviam votado PS em 2005. Pegou nos "Temas" actuais: justiça, agricultura e pescas, segurança e rendimento mínimo. Quem mais falou nisto??! Ninguém!!! Ele arriscou, ele ganhou. Se MFL é perdedora no seu partido e nas eleições, PP é um ganhador em toda a linha porque cala os seus críticos e renasce com um resultado histórico. Vamos ver agora o que faz no Parlamento. Francisco Louçã é um ganhador porque consegue também com a sua presença, o seu discurso, atrair muitos dos votos que eram do PS... mas perdeu logo de imediato muito da sua áurea de herói dos tempos modernos quando demonstrou falta de humildade ao não cumprimentar o PS pela vitória nas eleições, ao fazer um discurso arrogante do "eu sou melhor que vocês todos!". Quanto à CDU, também é uma derrotada, aliás a par com o PSD são os grandes perdedores da noite. Não interessa que tenha ganho mais um deputado, e que tenha conseguido mais 30 mil votos! Mas dos 500 mil que o PS perdeu, não conseguiu trazer para si as grandes bandeiras e o apoio do povo! Perdeu para o BE e perdeu, escandalosamente para o CDS. De 3ª força passa a 5ª sem poder de negociação no parlamento porque o n.º de deputados não chega para qualquer coligação esporádica parlamentar com o PS! Na CDU deverão estudar agora o que de mal correu. Eu aponto alguns erros: má campanha; campanha em sítios onde os votos já são garantidos; discurso ultrapassado e só orientado para os trabalhadores; não falaram nem da justiça, nem da segurança pública, nem da segurança social; nos debates, Jerónimo de Sousa foi o candidato mais impreparado de todos. Ora, estes erros pagam-se caro, mesmo que se tenha conseguido, ainda assim, mais um deputado! Por fim, o PS. Acaba por não ser um grande derrotado porque, depois de toda a contestação nas ruas, depois de tantos escândalos, depois de tudo, ainda ganharam as eleições!!! Por isso, os do PS estavam tão felizes! Quase que disseram: "ufa! já nos safámos desta!". E tiveram ainda assim um resultado que lhes permite ter jogo de cintura. É a democracia...
SSF a 28 de Setembro de 2009 às 16:58

Não concordo. MFL não é a grande derrotada. Fez uma campanha de gestão e garantiu aos seus amigos assento parlamentar. no processo ganhou créditos. Deu cabo do partido laranja? Deu mas... foi só mais uma. Derrotado à séria foi mesmo a CDU, aí totalmente de acordo e, o Presidente Cavaco. Esse tem os dias contados. As más prestações e últimas polémicas parecem abrir a porta de São Bento a Manuel Alegre (repararam que voltou a aproximar-se de Sócrates durante a campanha?) e para um Presidente e um Executivo da mesma cor...
Mr. White a 28 de Setembro de 2009 às 17:32

Mesmo com uma vida louca, não poderia deixar de vir acrescentar algo ao excelente post do Mr White.
Na verdade a grande derrotada enquanto candidata a Primeira-Ministra é a MFLeite, mas por sua vez, enquanto política já é a grande vencedora.
É derrotada por não consegue mais votos que os que Santana Lopes obteve há 4 anos, com a agravante que nessas eleições o PS teve maioria absoluta e agora ficou quase 10% desse score! Resumidamente, esse eleitorado volátil que ontem não votou PS, também não votou PSD!
É vencedora porque a sua saída enquanto líder do PSD é eminente e os futuro líder terá, como intervenientes no palco principal da política portuguesa (AR), artistas que não foram por si escolhidos.
Mais palavras para quê?!
Aproveito para recordar o meu post de 06 de Agosto, intitulado por "A Intifada do PSD".
Mr. Hellmann's a 28 de Setembro de 2009 às 18:46

Setembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
11
12

13
17
18
19

20
22
23
26

27


pesquisar neste blog
 
blogs SAPO