O Blog da Escorregadela intelectual (versão 2.0)

25
Jun 08

 

 Uma das notícias do dia foi a apresentação do inovador edifício de David Fisher. Um autêntico spinning building. E não, não vale a pena pensar num edifício cheio de bicicletas com malta a pedalar como se não houvesse amanhã. Não, este é um edifício em que os andares giram sobre si próprios. Vantagens? Claro. Um viajante que esteja na sua varanda, acompanhado do seu gin tónico pode ir rodando pelas vistas da sua cidade. E nunca se satura. A nível estético, o facto de cada andar rodar independentemente dos outros permite criar um espectáculo único, com o prédio a mudar constantemente de forma. E isto tudo ainda cria energia eléctrica, graças a umas turbinas instaladas no dito prédio.

 
 
 No entanto… o Viajar questiona isto tudo. O prédio, previsto para o Dubai e para Moscovo terá 80 andares e 420 metros de altura. Cada piso é um apartamento? Porque se não for, como é que se gere a rotatividade dos apartamentos? Vai-se bater à porta do vizinho para parar com a coisa? E se for um apartamento por piso, o modo giratório terá velocidades? Imaginem as maluquices dos senhores dos Emirados com aquilo no máximo!
 
 E se uma pessoa organizar um jantar? Os convidados ficam tontos do tintol ou da casa? E quando chegam? Têm de esperar que a porta passe no sitio certo para tocar à campainha? “Só mais uma volta e a malta já entra.” E quando se chega a casa de uma noitada? “Wow man, tou a sentir a casa a girar!.......................” 
 
Isto já para não falar dos problemas técnicos! Como é com as canalizações? Canos flexíveis? Ou a casa tem que dar 30 voltas para um lado e outras 30 para o outro? Ou “pára tudo, tenho de ir à casa de banho!”?
 
 O arquitecto David Fischer, que apesar do nome é italiano (??), terá resposta para estas dúvidas do Viajar, já que, ao que dizem, passou 30 anos a estudar a coisa…

 

 

Mr. Heinz às 19:30

Junho 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
21

22
28



pesquisar neste blog
 
blogs SAPO