O Blog da Escorregadela intelectual (versão 2.0)

02
Mai 12

Ontem, 1º de Maio, dia de Luta dos Trabalhadores, dia para celebrar as conquistas que os trabalhadores do mundo conseguiram após a industrialização, designadamente a jornada semanal das 40 horas de trabalho entre outros direitos, o Grupo Jerónimo Martins, dono da cadeia de supermercados "Pingo Doce" abriu portas, obrigou os seus trabalhadores a trabalhar, violando o que tradicionalmente era tido como pacífico - o único dia do ano que os trabalhadores efectivamente não trabalhavam - e, sem pruridos, criou uma campanha vergonhosa, de dar um desconto de 50% nas compras de valor superior a € 100,00.

De imediato, se viu os resultados de tal campanha infame! As fragilidades sociais de um país à deriva ficaram expostas, as pessoas, carenciadas, ou menos carenciadas, correram paras lojas Pingo Doce, enfrentaram filas enormes, entraram em brigas físicas, para aproveitarem a "esmola" do Pingo Doce. UMA VERGONHA!

O 1º de Maio de 2012 vai ficar assim indelevelmente marcado por esta forma torpe de atacar os valores sociais, por esta forma de aproveitamento das necessidades das pessoas para alcançar o lucro fácil e atacar os valores de Abril e os valores do 1º Maio.

Mas o mais grave é que esta operação não foi acompanhada pela ASAE e nenhum membro do Governo se pronunciou sobre a mesma. Depois de retirar a sua sede e capitais sociais para a Holanda, o Grupo Jerónimo Martins ataca a sociedade com esta campanha ignóbil! O que Ms. Brown viu através das fotografias, através da TV e do que ouviu dos relatos que lhe iam chegando, deixam-na apreensiva. A concorrência desleal do Grupo Jerónimo Martins aniquila qualquer esperança num futuro melhor. Só hoje é que a ASAE apareceu para fiscalizar, mas deveria ter aparecido para prevenir, ao fim e ao cabo não é essa a sua função principal? E só apareceu hoje para fiscalizar, depois do mal feito, porque houve vozes que se levantaram contra esta prática desleal. E o Grupo Jerónimo Martins sabe também que as sanções que poderá vir a sofrer são diminutas face ao lucro que teve ontem.

Até quando este capitalismo cavalar que passa por cima de tudo e de todos? Uma Vergonha sem dúvida...

Ms. Brown às 13:04

170 comentários:
O meu amigo critica mas se tivesse com dificuldades financeiras ao ponto de não conseguir colocar comida na mesa para os seus filhos, provavelmente também iria para as lojas pingo doce aproveitar a campanha.
Alfredo a 2 de Maio de 2012 às 16:13

Se uma pessoa tem dificuldades financeiras não vai fazer compras na ordem dos 100.00€. Compreendo perfeitamente que esta campanha é boa para quem tem algum dinheiro para "investir"( compras em comida não é investimento mas sim uma necessidade). Imagine uma pessoa que comprou óleo ou azeite em grande quantidade, se tiver um imprevisto com a saúde ou educação dos filhos , não vai ter dinheiro para pagar isso mas tem a dispensa cheia de azeite ou óleo. Quanto a promoção foi brutal como se pode constatar nos telejornais ou nas redes sociais
Horacio Pires Peres a 2 de Maio de 2012 às 16:41

Mas tambem há aqueles que perferem "investir" num credito para ir de férias,e se calhar tem a dispensa vazia!
J.lima a 2 de Maio de 2012 às 17:14


Finalmente um comentário assertivo. Infelizmente há muito boa gente que prefere férias e descanso, ficando a barriguinha dos filhos para segundo plano. Como vamos levantar a cabeça com ( trabalhadores) destes ?
pedro.s a 2 de Maio de 2012 às 22:38

Estes cavalos vão continuar a cavalgar e a chicotear as costas do povo enquanto os nossos governos só pensarem no bem estar dos patrões e dos ricos e nem se dignam olhar para a miséria que está a crescer cada vez mais à sua volta. Só fazem leis a favor dos patrões porque eles próprios são patrões, por isso é aproveitar enquanto lá estão.
POR FAVOR!!!! QUE HAJA ALGUÉM QUE PENSE NOS POBRES, QUE TOME AS RÉDEAS DESTE PAÍS QUE ESTÁ A CAMINHAR A PASSOS LARGOS PARA O DESCONTROLO TOTAL!!!!ISTO É UM GRITO DE SOCORRO DE QUEM ESTÁ DESEMPREGADO E JÁ NÃO TEM ESPERANÇA!!!!
AJUDEM-NOS!!!
MARIA a 2 de Maio de 2012 às 16:14

Eu, pessoalmente não aderi porque não soube senão te-lo-ia feito.Fazer as compras do mês ou mais por metade do preço é de aproveitar...ainda mais nesta altura que atravessamos.Será que foi só o pingo doce que violou os direitos dos trabalhadores?...e a concorrência?...médicos, enfermeiros, bombeiros...deixem de viver na utopia...Sr. Luis, chama a manada de gado a pessoas que tentam poupar uns tostões?que mal formado que o sr. se mostra, certamente não deve andar no meio de muita gente já que é tão superior.
Ana a 2 de Maio de 2012 às 16:25

O facto é que o grupo Jerónimo Martins tem de ser responsabilizado pelos desacatos até pela onda de violência , o que mais me incomoda é que foi no dia do trabalhador, isso deve ser mais uma manobra para não haver manifestações e conseguiram, uma vergonha...
JP a 2 de Maio de 2012 às 16:25

Este tem a mania da perseguição..........
Anónimo a 2 de Maio de 2012 às 17:14

Desculpe, mas eu discordo de si. Ontem o 1º de Maio foi um dia muito festejado não só no nosso país como em todo o mundo. Os trabalhadores sábios e conscientes nunca deixarão de lutar pelos seus direitos, venham os Pingo doces que vierem. Derrubou-se uma ditadura em Portugal ao fim de 48 anos e já nessa altura havia Jerónimos Martins e outros que tais. Por isso lhe digo que o 1º de Maio se festejou bem em Portugal e continuará a festejar-se no futuro. O problema foi que as nossas televisões resolveram oferecer publicidade gratuita ao Sr. do Pingo Doce e "esqueceram-se" de dar a devida importância aos festejos do 1º de Maio em todo o mundo. É mais uma para pensarmos: O papel da nossa comunicação social e a desinformação que a caracteriza.
Comunista a 2 de Maio de 2012 às 23:43

São os mionstros que criámos! A Selva está estabelecida!
tativic a 2 de Maio de 2012 às 16:35

Se pusessem uma peça do "camarada" Bertolt Brecht com bilhetes à borla ninguém lá punha os pés, mesmo que tivesse 6 meses em cena, pá! É este o povo que vai a eleições e elege os Jerónimos Martins deste país. Aguenta-te, não refiles e vai assoprando as velinhas de Abril.
Xispe D'arroz a 2 de Maio de 2012 às 16:37

Vergonha…!? São os “ iluminados e cultos” deste país não terem a noção do que representa para uma família, onde o desemprego bateu à porta, com filhos para dar de comer e educar uma campanha deste género, só aproveitou quem quis e quem não quis ou não conseguiu, deixe-se de indignações politicas, porque as pessoas sabem muito bem o que é o dia do trabalhador e por isso muitos trabalhadores aproveitaram esta campanha ,não só os consumidores, como quem precisa de ganhar mais dinheiro e preferiu ir trabalhar do que andar a descer Avenidas a apregoar utopias. Não se esqueçam que estamos num País livre cada um faz a sua vida como quer, aproveitando o que quer e ninguém deveria perder tempo a criticar aquilo que não lhes toca.
Mafalda a 2 de Maio de 2012 às 16:38

De facto, vergonhoso. A força do dinheiro a confrontar sindicatos, colaboradores e clientes. Para ganhar o quê? Diminuição nas vendas dos próximos meses por força do excesso de stock dos clientes?
Demonstração de poder?
Continuam a pagar misérias aos colaboradores e a espremer fornecedores para estes espectáculos degradantes?
Muito mau...
isabel sequeira a 2 de Maio de 2012 às 16:41

Ora aqui está alguém que usa a cabeça para pensar. Realmente o problema não está de todo nesta promoção, mas quem,
é que ganha com ela!? Eu, pra mim, tenho algumas dúvida que os portugueses ganhem muito com isto e de certeza não é por aqui que se combate a tão falada falta de produção que nos produz a tão descarada falta de "pão"! é, realmente estes doutos sabedores da economia e da finança, escudados em dourado canudo, garantem que, para que os poderes no Mundo se equilibrem, tem de colocar-se o Humanismo da Europa Moderna, esse baluarte do respeito pelo trabalho e pla dignidade Humana, ao nível da "escravatura" chinesa, indiana, do bangladesh , entre outros oásis da miséria dessas bandas, onde se trabalha, de sol a sol, apenas pelo direito "à sopa". Triste e porca miséria! Não seria muito mais nobre obrigar-se os senhores, que dominam e governam esses Estados, à assegurarem, àqueles que trabalham e produzem a riqueza deles, as condições de trabalho dos trabalhadores da Europa?! Depois disso, então sim desse largas ao mercado concorrencial!? Estes doutores do dinheiro estudam a riqueza plo principio errado, quem produz a riqueza é o trabalho, como todos sabemos e não o dinheiro, este deve ser apenas o resultado desse trabalho, logo quem trabalha, por direito natural, é merecedor de uma remuneração justa!
S Costa a 2 de Maio de 2012 às 18:49

Não sei por tanta polémica....Em relação aos trabalhadores, eles foram pagos a triplicar com direito a um dia de folga e vão ter os mesmos descontos para a semana, foram explorados? Não. Em relação aos descontos só tenho uma pergunta a fazer, quando vamos aos saldos comprar roupa com 50 ou 60 % de desconto ai já não há problema?
Não será ai também concorrência desleal ?

Um abraço
Nbarroca a 2 de Maio de 2012 às 16:47

Vivemos em Democracia, ninguém obrigou ninguém, pagaram e os colaboradores que quiseram aderiram. Ma que raio de democracia que quer obrigar irmos em manada comemorar o dia do trabalhador. Respito quem vai, respeitem que não quer ir e opta por outra coisa qualquer , mesmo trabalhar.
Anónimo a 2 de Maio de 2012 às 16:48

Maio 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
23
24
25
26

27
28
29
30
31


pesquisar neste blog
 
blogs SAPO