comentário:
Ido o fogo do sol, ficam as cinzas que ainda assim aquecem as noites já frias. Triplicam os programas e as opções dentro. Não faltam coisas para fazer. Faltam agora os encantos e deslumbres de alguns programas… a magia de outros tempos.

É o recomeçar de uma programação em harmonia com o tempo…

(…)

“Tempo...
E não haver nada,
Ninguém,
Uma alma penada
Que estrangule a ampulheta duma vez!

Que realize o crime e a perfeição
De cortar aquele fio movediço
De areia
Que nenhum tecelão
É capaz de tecer na sua teia!”

Miguel Torga
MT a 27 de Setembro de 2010 às 10:29