comentário:
Tomo a iniciativa de comentar este post por abordar uma temática que muito me diz, onde se inclui ambiente, ecologia, economia, enfim Sustentabilidade.

A falta de iniciativas no âmbito do DESC, como se comprova pelos argumentos e exposição de Mrs. Brown, é uma pena, porque de pequenos passos se vão fazendo grandes caminhos. Em contrapartida, ainda que timidamente, vão acontecendo iniciativas como Ciclos e Conferências sobre Sustentabilidade a marcar cada vez mais o espaço na agenda de quem tem poder de decisão, nomeadamente no meio empresarial e estatal, embora neste último, com bastante menos significado, infelizmente…

Ambos os temas, DESC e Sustentabilidade são complementares e concorrem para os mesmos fins.

Na tentativa de justificar a suposta perda de força das iniciativas ligadas ao DESC, atrevia-me a referir a Pirâmide de Maslow (http://novo-mundo.org/wp-content/uploads/maslow.jpg) , para fazer uma vaga analogia entre as necessidades das pessoas e as de um país. Esta Teoria estabelece uma hierarquia de necessidades do Homem, ao mesmo tempo que lhes dá maior ou menor importância e peso relativo. Começa na base da pirâmide pelas fisiológicas e vai subindo até às necessidades de Auto-Realização. Num país, também é definida uma missão, são definidas prioridades e áreas de acção aos vários níveis. Neste momento, o país depara-se com questões económicas e sociais muito delicadas, o que faz com que alguns investimentos regridam e as opções voltem à base da pirâmide, numa tentativa de mobilizar os recursos disponíveis para a sobrevivência do próprio sistema, isto é, das pessoas. Ou seja, desde que estalou a bolha financeira, verificou-se o efeito borboleta e a consequente perda de valor de muitas economias. Claro, Portugal dos primeiros a acusar. Desta maneira, comprometeram-se valores e iniciativas mais ambiciosas que já iam ganhando forma e que afinal permitiam dar saltos no sentido do desenvolvimento.

Basta olhar para os países mais desenvolvidos, nomeadamente os nórdicos, onde as necessidades da base da pirâmide há muito estão salvaguardadas, as ambições e os voos da sustentabilidade estão já na ordem do dia. Digamos que esses países correm já por outro tipo de conquistas mais poderosas, criando assim uma identidade e referência forte perante o mundo. O caso dos EUA, que embora seja um dos países mais desenvolvidos, ou era, nesta área “eco” tem muito ainda para aprender e para crescer.

Optimismo não faltará aos viajantes, mas face a tudo, já nem sabem nem crêem em nada!... Perante o cenário, têm que reconhecer que está criado um momento de impasse, dirão mesmo, uma encruzilhada… que só o tempo poderá desfazer…
Maslow a 23 de Setembro de 2010 às 10:26