O Blog da Escorregadela intelectual (versão 2.0)

24
Set 10

O tempo esvai-se com uma rapidez estonteante! Sete dias correm e quando damos por nós, eis que o fim-de-semana está aí à porta, já ao virar da esquina!Ainda agora Ms. Brown escrevia sobre o que havia para fazer e, num ápice, num abrir e fechar dos olhos, já está a falar sobre o que se pode fazer no fim-de-semana que agora chega!

E que há para fazer?... perguntam-se os viajantes. Vejamos:

Hoje:

1. Temos festa açucarada "Candyshop - Sugar Show de Dança" no Bar Fiéis ao Bar do Rio (ex Bar do Rio), em Lisboa;

2. No Clube Ferroviário, em Lisboa, há concerto dos The Green Apple Sea;

3. No Bacalhoeiro, em Lisboa, o Duo Porcelana dá concerto;

4. Na Galeria Zé dos Bois, em Lisboa, Norberto Lobo e Guilherme Canhã, com o seu grupo Tigrala dão música a quem por lá passar;

5. No Barreio há BOM - Barreiro Outras Músicas 10, festival de música com Lula Pena, Anti-Pop Consortium, Hidden Cookie, Allen Halloween;

6. No CCB, dança-se com o espectáculo "Paisagens...onde o Negro é Cor";

7. Enquanto que, no Coliseu dos Recreios de Lisboa, o par mais romântico de toda a história do teatro "Romeu e Julieta" dança através da Companhia de Dança Russa Moscow Ballet;

8. No Tamariz, ali para os lados do Estoril, há festa revivalista da M80, para quem gosta de música dos anos 80 e 90.

9. No Porto, na Casa da Música, os The Wave Pictures dão concerto;

10. No Le Rendez-Vous do Hotel Meridien do Porto, DJ Sushi e DJ Maia dão música

11. No Hard Club do Porto Fuz e André Granada tomam as rédeas da música;

12. No Plano B do Porto, é a vez de Khanage+Brainfuzz+Amex+Tra+Zé Guillab2b Fragz! darem música a quem por lá aparecer

13. E no Fiéis ao Pop, no Porto, há "Pop Loves You" com DJ Nicky e Bitch aka Martins+Kiko Guedes de Oliveira+DJ Leonor Guedes

14. Por fim, e para acabar sexta em beleza, no Museu Serralves, Porto, há espectáculo de dança "Producto of circumstances".

Se, não ficaram cansados com a programação de sexta, chega a de sábado, também ela recheada de coisas boas:

a) Na Tenda do Chapitô, em Lisboa, Noiserv apresenta-se para dar música;

b) No Casting Club da Lx Factory. em Lisboa, há festa indie INDIEemFRENTE;

c) Dentro do Festival de Dias de Tango, dança-se Milonga na Casa da Comarca da Sertã, em Lisboa;

d) Para os amantes de música electrónica, no The Loft, em Lisboa há Baile ao som deste tipo de música;

e) No Musicbox, os Diabo na Cruz tocam no âmbito do Clube Docs II

f) E o Bacalhoeiro faz anos e faz a sua festa na Voz do Operário com Farra Fanfarra, Gonçalo Gonçalvez, Texabilly Rockets, PutzKapuntz, King Mokadi e Ekta Moai.

g) E para quem gosta de um chorinho, há Baile Royale no Maxim com os Roda de Choro de Lisboa.

h) Já em Vila do Conde há o Circular - Festival de Artes Performativas com dança e performances;

i) No Teatro Sá da Bandeira, no Porto, há Club447 Deluxe#3 com Crystal Water+Fredy+Dee:Na+Fulano47 vs. Sininho

j) No Hard Club, o homem do momento Samule Úria toca juntamente com DJ Guze e Just Honey

k) No Teatro Nacional de S.João, A Gaivota de Tchekóv sobe ao palco

E, no Domingo, para os resistentes ou não muito ressacados, temos:

- Bordell no Chapitô

- 27ª Feira da Ladra Alternativa no C. Cultural Dr. Magalhães Lima em Alfama

- Mercadinho dos Clérigos, no Porto

- Outjazz que termina em beleza no jardim das Necessidades com concerto de Tiago Bettencourt e os Manta

- No CCB homenageia-se o Nobel Português, recentemente falecido, José Saramago, com um dia José Saramago

Mas para além dos dias específicos do fim-de-semana, há ainda a Visita às Galerias Romanas durante o fim-de-semana, na Baixa Pombalina, o que acontece anualmente; a Restaurant Week está a decorrer; há Mercado de Sabores no Pavilhão Atlântico, com chefs como Luís Baena, Vítor Sobral, Henrique Sá Pessoa, Olivier, Hélio Loureiro...

Não há desculpas para ficarem em casa! Mesmo com o tempo a refrescar, com a chuva a pespontar, com a noite a aparecer mais cedo, há mil e um motivos para sairem, divertirem-se, conviverem, enfim para SEREM FELIZES!

 

Ms. Brown às 11:30

22
Set 10

Supostamente, hoje, assinala-se o Dia Europeu sem Carros (DESC), integrado na semana da Mobilidade que teve início no dia 16 de Setembro.

No entanto, pelo menos ao que foi dado a conhecer a Ms. Brown, poucas ou nenhumas iniciativas tiveram lugar para assinalar este dia e esta semana!

O DESC nasceu para a vida no ano de 2000, ano em que, os municípios portugueses aderiram em massa, com múltiplas iniciativas. Lisboa, ficou sem carros, várias ruas foram fechadas ao trânsito, via-se gente a andar a pé, de transportes públicos, de bicicleta, de skate. Foi uma festa e todos estavam felizes! Em 2001, a festa continuou e em 2002, a CE decidiu instituir o DESC! Mas, para mal dos nossos pecados, as iniciativas começaram a escassear, até que chegamos ao dia de hoje e deparamo-nos com milhares de carros a circular em Lisboa e arredores (Ms. Brown crê que o mesmo se passa noutras localidades), sem que se tenha visto qualquer iniciativa para se assinalar este dia!

Até os próprios sites da internet dedicados a este dia estão desactualizados, sendo de 2000 ou de 2003 ou já estão desactivados (www.lisboasemcarros.org; www.umdiasemcarros.org; wwww.tudosobrerodas.pt) e o único site que dedica algo mais ao DESC é da Agência Portuguesa para o Ambiente (www.apambiente.pt). No site da Câmara Municipal de Lisboa (www.cm-lisboa.pt) só depois de ler algumas notícias é que nos deparamos com informação sobre o DESC e que nos remete para um pdf com as iniciativas tomadas pela Edilidade - tudo dentro de portas com apresentação de vários projectos e afins, sem grande impacto!

Ms. Brown raramente anda de carro em Lisboa, privilegiando o Metro, mas porque foi educada assim e porque sempre criou soluções para a falta de transporte individual.

Infelizmente, a maior parte das pessoas é comodista e prefere vir de carro, gastar gasolina e pagar balúrdios de estacionamento ao invés de vir de transporte público, mas tal razão poderá não se prender somente com comodismo. Será que a rede de transportes públicos é suficiente? Será que os horários são compatíveis com os horários de trabalho? Será que os preços são proporcionais à qualidade do serviço? E as ciclovias? Serão elas suficientes? Estarão bem conservadas?

Ms. Brown entende que não é com aumento dos valores diários de estacionamento, com bloqueios abusivos dos carros, com alugueres de bicicletas a preços absurdos que se vai evitar a entrada de mais carros em Lisboa. Algo deverá e tem de ser feito, começando por lutar os lobbys das gasolineiras e das empresas privadas de estacionamento e acabando numa educação "mais verde" da população. Se na Alemanha, na Suécia, na Holanda as pessoas andam todas de bicicleta, sem se queixarem, porque não haveremos nós, portugueses, fazer o mesmo?!

Ms. Brown vai assinalar o DESC como assinala todos os dias - andando a pé e de metro - contribuindo, assim, para a redução da poluição. E os viajantes, como pensam fazer?...

Ms. Brown às 10:52

17
Set 10

...o mesmo é dizer que o fim-de-semana está aí à porta e com ele a rúbrica mais ansiada da blogosfera: programação de Ms. Brown (clap,clap,clap).

Há sempre tanta coisa para fazer e para ver, Ms. Brown perde-se nas revistas, nas newsletter e nos jornais que lhe servem de base para a recolha da programação e perde-se porque realmente Portugal está a bombar! De norte a sul há sempre programas interessantes para se fazer.

Ms. Brown tende a dar a programação das cidades do Porto e Lisboa e das áreas circundantes, mas se os viajantes souberem de mais programas de outras cidades, vilas, aldeias, lugares, digam, escrevam e Ms. Brown promete que lhes fará referência!

E que nos reservam as próximas 54 horas (mais coisa menos coisa)? Só coisas boas!

Em Lisboa, hoje:

1. O Festival Música Viva continua a largar notas (musicais) por esta linda cidade e hoje os Soundwalk apresentam-se no espaço do CCB

2. Na discoteca Metropolis, no C.C.Imaviz, há Festa Indigente. Para quem gosta do Incógnito é como se estivesse em casa!

3. Arranca hoje, livre de preconceitos, o festival de cinema, Queer Lx, no cinema S. Jorge

4. Para os amantes do flamenco, há Festival Flamenco de Lisboa no "La Hora Española" em Santos.

5. No Clube Ferroviário, os amantes das Vespas podem assistir ao Vespa Gang Mod Club e ouvir a sua música anos 60 e 70.

6. Nas festas da cidade da Amadora, os Pontos Negros, apresentam-se no Parque Central da Amadora.

Já no Porto, hoje:

a) Há Atari Teenage, no renovado e relocalizado Hard Club, que mudou de margem, saiu de Gaia e foi para o Porto.

b) No Porto Rio, há concerto com Noiserv, Maryland e Mau Amigo.

Mas porque o fim-de-semana tem sábado e domingo, no sábado, em Lisboa:

1. Expensive Soul vão espalhar a magia do amor no Festival da Mobilidade em Almada.

2. Em Cascais, há a iniciativa Cascais Endless Nights como forma de promoção do comércio "cascaense", com espectáculos de magia e malabarismo e com mini-concertos

3. Ainda nas festas da cidade da Amadora, Diabos na Cruz e Deolinda sobem ao palco do Parque Central da Amadora

4. No Music Box, um novo Tony de Matos da canção romântica, Gonçalo Gonçalves apresenta-se para cantar (e encantar) músicas de amor

5. No Clube Rio de Janeiro, há Gala Kretcheu, para dançar África, para sentir os ritmos quentes africanos...

6. E ainda na senda dos ritmos quentes africanos ou deles derivados, no Espaço Municipal da Flamenga, à Belavista, em Lisboa, há Cultura Balance, para amantes de capoeira, hip-hop, afro-dance, dança do ventre, salsa, samba, enfim, para quem gosta de bater o pé. As receitas deste evento revertem para a APA - Associação Procura Abraço, uma ONG que desenvolve um projecto social e educativo em S. Tomé e Príncipe (sempre de aplaudir!)

E, enquanto isso, no Porto os Danko Junes apresentam-se no Hard Club.

Por fim, e já no Domingo, em vésperas de voltarmos às lides:

a) A Marginal de Lisboa, dentro da semana europeia da mobilidade (como? está a decorrer e não é feita nenhuma menção pública à mesma? E o dia sem carros? E todas as iniciativas que existiam?), vai ficar sem carros

b) O grande cantautor B Fachada vai ao Clube Ferroviário apresentar o seu "Há Festa na Moradia" (grande álbum que Ms. Brown sacou gratuitamente da internet)

c) E os Eels dão concerto no Coliseu de Lisboa.

 

Há ainda teatro para ver. A nova época está aí e o pano começa a subir nos palcos desses teatros. Por isso, na Culturgest, em Lisboa, estreou uma peça escrita por Jacinto Lucas Pires "Sagrada Família" que se debruça, claro, sobre a religião mas também sobre política. No Teatro S. Luiz, em Lisboa, vai à cena "Hedda", dos Artistas Unidos, com Maria João Luís, essa grande actriz portuguesa, retirado do texto "Hedda Gabbler" de Henrik Ibsen.

 

Ufa... há tempo para isto tudo? Provavelmente não, mas pelo menos aproveitem uma das sugestões de Ms. Brown, aquela que se mantém como válida para sempre...SEJAM FELIZES!

Ms. Brown às 15:25

14
Set 10

No domingo à meia-noite foram publicados on-line os resultados de admissão (ou não) à Universidade. Em milhares de casas, pais e filhos ansiavam pela publicação on-line dos resultados.

Ontem Ms. Brown, por motivos de formação profissional, dirigiu-se à Reitoria da Universidade de Lisboa e por momentos foi transportada no tempo para a altura em que entrou na Universidade. A angústia da espera dos resultados, a correria para a Reitoria para ver se tinha entrado ou não, a praxe "ad hoc" que sofreu assim que mandou um berro de contentamento porque tinha entrado, as perguntas infindáveis sobre como seria o mundo universitário, o que lhe esperaria, seriam os colegas porreiros, e os professores...para Ms. Brown era um mundo novo! Vinda de um colégio particular que não tnha mais do que 250 alunos espalhados pelas várias turmas e anos, de repente Ms. Brown encontrava-se numa Faculdade com cerca de 5.000 alunos!

Foi também por volta desta altura, mês de Setembro, que Ms. Brown soube que tinha entrado. Ainda não tinha feito os 18 anos, era uma jovem sonhadora, despreocupada e de bem com a vida (o sonho, a despreocupação e o estar de bem com a vida mantêm-se...). Ms. Brown recorda-se que com ela estava uma grande amiga (daquelas que são de sempre e vão ficar para toda a vida) que também ia ver se tinha entrado na Universidade. As duas apoiámo-nos uma na outra, rimo-nos, festejámos, fomos a correr ter com os nossos pais a dar a boa nova... enfim foi algo de fantástico! Depois de 3 longos e angustiantes anos no secundário, a lutar por médias, a fazer contas à vida, depois do stress da Prova de Aferição (vulgarmente apelidade de "Aflição") e das Provas Específicas, a espera dos resultados naquele interminável Verão, eis que o prémio de tantos sacrifícios surgia na nossaa frente com a palavra de "admitido" e o nome da faculdade para onde íamos estudar.

Depois, bem depois, os anos de Universidade foram os melhores anos da vida de estudante de Ms. Brown. Todas as preocupações, receios, e dúvidas existenciais deixaram de existir logo no 1º dia de aulas - o dia da praxe! Nesse dia Ms. Brown, que nunca teve dificuldade em fazer amigos, encetou logo amizade com caloiros e veteranos, o que de imediato lhe permitiu uma rápida integração. Depois, Ms. Brown entrou num mundo da política académica, integrando listas para a Associação. Entrou também na equipa de volley universitário, criou a comissão de finalistas do seu ano de curso, esteve nos órgãos representativos da faculdade e passava a maior parte do tempo nos matrecos ou a jogar à espadinha no bar da faculdade! Aulas, que era bom, quase não ía! Mas, não pensem os viajantes que Ms. Brown só teve uma vida de farra! Não. Assim que chegava a época de exames, Ms. Brown desaparecia do mapa e só ressurgia, pálida, cheia de olheiras, no final de Julho, depois de tudo concluído! E assim, Ms. Brown orgulha-se de dizer que fez o seu curso em 5 anos, sempre em 1ª época, sem prescindir da sua vida de farra académica que era feita entre Outubro e Maio! Foram, sem dúvida, grandes anos e onde foram feitas boas amizades que ainda hoje se mantêm.

Agora, inicia-se uma nova fase para imensos miúdos acabados de sair do secundário, todos eles com as mesmas dúvidas existenciais de Ms. Brown na sua altura. A eles, Ms. Brown diz para aproveitarem ao máximo a vida da Universidade. Estudem, mas festejem, façam amigos e façam aquilo que nunca mais irão fazer, porque os tempos de faculdade são os melhores e não voltam mais! Boa sorte nesta vossa nova etapa!

Ms. Brown às 09:56

10
Set 10

Caros viajantes não desesperem, eis que chega o fim-de-semana e com ele a programação/sugestões da Ms. Brown fresquinhas, fresquinhas!

O Verão já está a querer ir-se embora... o sol anda tímido e a querer ir brilhar para outras paragens. O trabalho regressou em força. As coisas da praia já estão arrumadas na arrecadação e só de lá sairão para o ano. Por isso, e porque Ms. Brown não quer que os seus viajantes entrem num espiral depressiva, impõe-se saber o que há para fazer na cidade durante o fim-de-semana para não morrermos de neura (porque já acabou a boa-vida!) ou de tédio (em casa, em modo mappling com comando na mão!

E então que nos reserva o fim-de-semana?

1. Festival Unplugged para quem se quer despir de preconceitos e é anti-rótulos, na Tapada da Ajuda, com Jay-Jay Johanson, David Fonseca ou Rita Red Shoes, que começa hoje e acaba amanhã

2. O mítico cantor Leonard Cohen regressa aos palcos portugueses, logo à noite, no Pavilhão Atlântico

3. No Museu do Oriente, logo à noite, para celebrar o 150º aniversário do Tratado Paz, Amizade e Comércio entre Portugal e o Japão, há espectáculo de taiko (tambor tradicional japonês) da responsabilidade do grupo Tachibana Taiko Hibikiza.

4. Está a decorrer o Festival Jazz.pt#32, em vários pontos da cidade de Lisboa, designadamente no Lux.

5. A Associação Guilherme Cossul, grande associação ligada ao teatro e onde grandes actores se fizeram actores, celebra 125 anos com vários espectáculos e teatro.

6. No Casino do Estoril estreou a peça "Sexo? Sim, mas com orgasmo", com Guida Maria (já tinha feito "Monólogos da Vagina") a partir de um texto do prémio Nobel de Literatura Dario Fo escrito em conjunto com a sua mulher, Franca Rame.

7. No Teatro Nacional D. Maria II, estreou, também, a grande obra de Tennessee Williams, que deu lugar a um filme épico de Elia Kazan, com Marlon Brando num dos principais papéis, "Um eléctrico chamado Desejo", com encenação de Diogo Infante e participação de Alexandra Lencastre e Lúcia Moniz, entre outros.

8. Começa hoje e vai até dia 25 deste mês, o Festival Música Viva, que é um festival de música contemporânea, electroacústica e de tecnologia aliada à criação sonora e visual, com participantes do Japão ao Canadá. Vai decorrer em sítios como Mosteiro dos Jerónimos, CCB, Instituto Franco-Português e Gulbenkian.

9. Na Vidigueira, Alentejo, há Festival da Vidigueira, amanhã, com Homens da Luta, GNR ou Legendary Tiger Man

10. Em Águeda, no Largo 1º de Maio, amanhã, os Alphaville vão tocar velhos êxitos dos anos 80, tendo na 1ª parte os O'queStrada

11. Na Casa da Música, no Porto, amanhã, o projecto "Muxima" ("coração" em kimbundo), de Janita Salomé, Filipa Pais, Ritinha Lobo e Yami formado em homenagem ao grupo "Duo Ouro Negro", sobe ao palco.

11. O Candidato Vieira vai recolher assinaturas para se poder candidatar a Presidente da República, no Maxime, sábado à noite, enquanto canta com os Irmãos Catita.

12. No Miradouro de S. Pedro de Alcântara, amanhã, desconhece-se a duração da festa, mas há Festa Cigana II, que poderá prolongar-se por 3 dias, se a tradição se cumprir.

13. No domingo, no pavilhão Atlântico, outro grupo de outros tempos, os "Supertramp" vêm (en)cantar os seus fãs com os seus êxitos

 

E, muito mais haverá para fazer, ver, viver, Ms. Brown deixa isso ao critério dos viajantes, se bem que também não vos pode dar a papinha toda feita(!)... no fim das contas, o que interessa é que SEJAM FELIZES!

 

Ms. Brown às 14:33

06
Set 10

Na sexta-feira passada, o país quase parou por causa da leitura do acórdão do caso "Casa Pia". Ninguém se atrevia a dar prognósticos sobre o desfecho desta longa história, todos ansiavam pela conclusão da leitura para assim poderem dizer "A justiça foi feita", de uma forma ou de outra.

Ao fim de quase 5 horas de leitura sumariada do acórdão de 2 mil páginas dividido em 5 volumes, o colectivo de juízes da 8ª Vara Criminal de Lisboa, considerou, com excepção da arguida Gertrudes, todos os arguidos culpados dos crimes de que vinham acusados e, nessa medida, condenou-os a penas de prisão efectiva entre os 6 anos e os 18 anos (a mais pequena foi para Hugo Marçal e a maior para Carlos Silvino). Mas será que com este acórdão a justiça foi feita?

Ao fim de 8 anos de discussão acesa sobre se os crimes realmente aconteceram, se aquelas pessoas que eram acusadas de tais crimes tinham sido efectivamente capazes de tais actos tão hediondos, se existiam ou não vítimas, o desfecho do processo não foi surpreendente, como também não o seria se tivesse sido de outro modo. Este era daqueles casos que poderiam ter dois desfechos.

Ms. Brown não criou qualquer expectativa sobre o processo; confiou na justiça portuguesa; sempre acreditou que aquele colectivo de juízes estaria a fazer o seu trabalho da melhor forma possível, apesar de todas as pressões exteriores, quer do lado dos arguidos, quer do lado das vítimas.

Ms. Brown reserva para si a sua opinião sobre esta questão. Longe de ser neutra, não quer acicatar uma discussão inócua uma vez que ninguém, para além dos advogados e dos juízes do processo, tem conhecimento total, perfeito, profundo do que se passou e do que consta do processo, logo, discutir sobre algo que não se conhece é gastar energias desnecessariamente.

Ms. Brown simplesmente dirá que até ao trânsito em julgado do acórdão (ou seja, até se esgotarem as possibilidades de recurso), todos os arguidos são inocentes até prova em contrário. Obviamente que uma primeira decisão a condená-los retira força a tal princípio jurídico, no entanto, o mesmo mantém-se válido até à decisão definitiva.

Ms. Brown está certa que os juízes analisaram aprofundadamente a prova produzida no processo, que ponderaram todos os factos relevantes, a situação concreta de cada arguido, a culpabilidade de cada um, a gravidade dos acontecimentos, e só depois de tal tarefa árdua é que tiveram a certeza da decisão que proferiam. Se têm razão? Ms. Brown não discute, só sabe que os tribunais de recurso existem para isso, para se discutir a razoabilidade, a justiça, a correcção da decisão. Não compete a mais ninguém dizer se o acórdão é correcto.

Mas,  Ms. Brown já discute o facto de um dos arguidos, acabado de ser condenado a pena de prisão efectiva de 7 anos, que foi mantido em liberdade pelo simples facto do recurso suspender a eficácia da aplicação da pena - Carlos Cruz - ter tido tempo de antena no canal do Estado para se defender! Só em Portugal, isto é possível!! Carlos Cruz teve um tratamento favorável desde o início do processo, quando foi  à TVI dizer que não era culpado de nada, até agora, quando marca uma conferência de imprensa e tem direito a entrevista exclusiva. É impensável que isto possa acontecer! Carlos Cruz deveria remeter-se ao silêncio e aguardar que os seus advogados façam o trabalho que lhes compete, recorrendo. É uma afronta às vítimas da Casa Pia (sim, porque independentemente de quem sejam os culpados, as vítimas existem!) e ao Estado de Direito. Carlos Cruz, desde o início que tenta descredibilizar a justiça e os juízes. Tenta colocar a opinião pública do seu lado, vitimizando-se! Mas, quem não deve não teme, logo, deveria confiar na justiça. Felizmente, vivemos num país democrático que permite, pelos meios próprios, colocar em crise as decisões de 1ª Instância. Com esta atitude, Carlos Cruz poderá sofrer do efeito inverso: virar contra si a opinião pública. Por respeito a todos, Carlos Cruz não devia ter aparecido na TV.

Por isso, Ms. Brown, apesar de não comentar o processo, não pode deixar de condenar Carlos Cruz pela sua postura imprópria ao longo destes anos e da forma como tentou manipular a opinião pública! Se é culpado ou não, isso se verá com a decisão definitiva...

 

 

Ms. Brown às 20:39

03
Set 10

Não... Ms. Brown não vai falar da revista "Time Out" (apesar de ser sua leitora assídua!), nem está a pedir desconto de tempo numa modalidade desportiva qualquer (andebol, basquetebol ou voleibol)... Ms. Brown está só a voltar à sua rúbrica semanal de dizer aos viajantes o que é que vai haver por aí durante o fim-de-semana!!

Pois é, as férias acabaram, regressamos à rotina diária de casa-trabalho-casa (Ms. Brown às vezes faz cortes neste trajecto), logo, torna-se necessário pedir um tempo de descanso (Time Out em inglês) - o fim-de-semana - e aproveitá-lo ao máximo para fazer outras coisas diferentes do dia-a-dia (se bem que muitas vezes o dia-a-dia pode nem ser rotineiro!).

Assim, caros viajantes, que propõe Ms. Brown neste dia em que todas as atenções estão voltadas para o caso "Casa Pia" (até ao momento só se sabe que foram dados provados todos os crimes...)?

Para o fim-de-semana, os viajantes poderão:

1. Ir à Festa do Avante (não há festa como esta!) na Quinta da Atalaia, Amora, Seixal, e ver Deolinda, Cacique 97, Tim, Peste e Sida, Expensive Soul, Naïfa, e outros grupos, numa festa portuguesa que se quer para o povo português e que este ano homenageia os artistas portugueses.

2. Assistir às peças de teatro levadas em cena no âmbito da Mostra Internacional de Teatro de Oeiras - Mito, que este ano tem por mote a "Aproximação". Por isso, viajantes, aproximem-se dos actores, vão ao teatro.

3. Dar um pé de dança na regressada e aclamada Festa da Comuna da primeira sexta do mês

4. Comer as iguarias gastronómicas no Mercado da Ribeira em mais um Festival das Confrarias Gastronómicas

5. Ouvir, no domingo, na Tapadas das Necessidades, o Quarteto Nelson Cascais, no Outjazz

6. Ouvir mais jazz e viver os tempos áureos do jazz, no "Jazz no Tanque" no Bartô do Chapitô, este sábado.

7. Dançar ao ritmo de música balcânica na Festa Balcânica no Miradouro de S. Pedro de Alcântara, este sábado, com DJ Set Bazaar Moderno e os The Fanfarrones.

8. Assistir a teatro, concertos de música, ver exposições no festival de artes de Sintra "Sintrartes"

9. Ir ao Festival de Jazz de Silves e aproveitar o bom tempo e dar um mergulho nas belas praias algarvias

10. Ou, ir para Espinho (já não aconselho o mergulho!) e ir ao Casino de Espinho ouvir hoje e amanhã o Fernando Tordo

11. Ir, mais um pouco acima, para ouvir no "Maus Hábitos", Porto, o Quarteto André Matos

12. Participar na IIª Maior Jam Session de Sempre (um pouco pretensioso, não?) amanhã na Praia do Molhe no Porto

13. Ouvir e dançar ao som de música electrónica dos Soulwax, 2Many DJ's, Dada Life, Goose, Moulinex, Tha Bloody Bastard ft. Mad Mac e Nuno Lopes, Flip, The wanna be DJ's, no Optimus Hype, no Cais da Matinha, em Lisboa, amanhã

14. Assistir aos espectáculos de música de câmara (totalmente nos antípodas da proposta anterior) no Festival Cantabile a decorrer em sítios como Gulbenkian, CCB, Mude, S. Carlos, Goethe Institut, em Lisboa, ou em Sintra ou Mafra.

 

Haverá, com certeza, muito mais coisas a fazer e ver! Ms. Brown não tem é a capacidade de assimilar tudo (quer dizer até teria se não tivesse de trabalhar e receber o seu dinheirinho para se sustentar!). Mas isso não interessa nada (como diria Teresa Guilherme nas entrevistas directas do BB, que dizem que vai voltar à TV - o BB não a Teresa Guilherme!)... o que interessa é que, façam o que fizerem, estejam onde estiverem, SEJAM FELIZES!

Ms. Brown às 15:18

02
Set 10

Usando um título de um livro de Manuel Tiago, pseudónimo de Álvaro Cunhal, Ms. Brown toma ensejo para falar naquela que é denominada a FESTA DOS COMUNISTAS  (não há Festa como Esta!), a "FESTA DO AVANTE"! Ainda que amanhã inclua este evento na sua rúbrica semanal de programação para o fim-de-semana, Ms. Brown entende ser necessário autonomizar e falar da Festa em post próprio.

Desde 1976, com o alto patrocínio do jornal oficial do Partido Comunista Portugês "Avante", que esta festa se realiza anualmente (com uma interrupção nos finais dos anos 80), sempre no primeiro fim-de-semana de Setembro.

Depois de se ter realizado na antiga FIL, na Ajuda, em Loures, e noutros locais, a Festa assentou arraiais na Quinta da Atalaia, comprada pelo Partido depois de uma grande campanha de angariação de fundos. Assim, desde 1991 ou 92 (Ms. Brown não tem bem presente o ano), a Festa realiza-se na Amora, Seixal.

Todos os anos, no princípio de Setembro, todos os caminhos vão dar aquela Festa. E não se pense que só Comunistas é que vão à Festa! Não! Pessoas de vários quadrantes políticos ou apartidárias vão à Festa.

Cada vez mais a Festa para além de marcar a "rentrée" do PCP e do seu cariz político, é um Festival de Música, de Arte e Desporto, enfim, de Cultura, pois anualmente convida músicas, pintores, escritores, organiza torneios desportivos, tem a feira do livro e do disco e apresenta peças de teatro.

É por causa da sua forma abrangente, que a Festa tem atraído, anualmente, milhares de pessoas ao recinto, numa perfeita harmonia e convívio de gentes de todo o lado e todas diferentes.

Ms. Brown já foi a muitas edições da Festa e esteve presente no 1º ano da Festa na Atalaia - infelizmente não tem conseguido ir a todas as edições e este ano será mais um ano a que faltará (marcou presença no ano passado) - e tem visto como a organização tem evoluído e como todos os anos o PCP aparece renascido neste evento político-cultural.

O recinto é grande, e está dividido por espaços. Há o espaço internacional com as representações dos vários partidos comunistas internacionais, há o espaço ciência, há o Avanteatro, há a Feira do Livro e do Disco, há palcos secundários e pavilhões com exposições...

Neste ano, a Festa começa na 6ª feira, com a comemoração do 25º aniversário do hino "A Carvalhesa", no sábado e no domingo, muitos grupos musicais subirão aos vários palcos montados, tais como Deolinda, Cacique 97, Tim, Bernardo Sasseti Trio, A Naïfa, Expensive Soul, etc. Haverá debates, teatro e exposições. Enfim, uma panóplia de coisas para se ver e fazer se o viajante não estiver interessado na parte política.

Para quem estiver interessado, poderão aceder ao site do PCP (www.pcp.pt) e a partir daí terão link directo para a Festa com informações sobre transportes, mapas do recinto, locais para acampar, etc.

Para Ms. Brown a Festa é isso mesmo, uma grande Festa! A Festa traz sempre boas recordações a Ms. Brown e é uma tradição familiar.Ms. Brown tem pena de não poder ir este ano, mas não pode estar em todo o lado!

Ms. Brown sugere, assim, vivamente, que o viajante, independentemente da sua côr partidária (ou mesmo que seja incolor), vá pelo menos uma vez a esta grande Festa porque... NÃO HÁ FESTA COMO ESTA!

 

 

Ms. Brown às 12:21

01
Set 10

Depois do post do Mr. White, a novela do seleccionador Carlos Queiroz (CQ) teve novos episódios que culminaram com a entrevista exclusiva para a SIC.

CQ pensou que esta entrevista serviria para apresentar a sua versão dos factos e que poderia tentar esclarecer a sua situação ao povo português. No entanto, com a sobranceria que lhe é característica, deu uma entrevista vazia de conteúdo e não afastou do povo português a ideia de que ele tem de sair da FPF dê por onde der porque não é pessoa adequada para exercer o cargo de seleccionador nacional.

Da entrevista fica a frase "a honra não é paga com dinheiro" (ou algo parecido), mas o que é certo é que tudo leva a crer que o CQ só sai se lhe pagarem a cláusula milionária! 

CQ é tão "cheio de si" que limintou-se a aceitar ainda que de forma vaga que "talvez" tenha sido deselegante com os membros do Adop. CQ não admite ter errado nas escolhas para a selecção, ter errado na estratégia que delineou, ter errado na gestão dos jogadores, ter errado na comunicação com as pessoas que o abordaram. Não, CQ fez passar que está a ser vítima de uma cabala (este é o país das cabalas!), sem o querer dizer directamente! CQ fala de um polvo (e não é o Paul que tanto sucesso teve no Mundial) numa entrevista a um jornal da nossa praça, mas depois não quer falar dele na entrevista à SIC. CQ faz-se de ofendido quando Rodrigo Guedes de Carvalho vai ao cerne da questão e lhe pergunta se "acha que está a ser tramado" dizendo que não é um tipo de linguagem que use ou que aceite, mas ao fim e ao cabo é isso o CQ pensa.

A FPF tem muitas culpas no cartório na gestão deste processo. Com medo de ter de pagar um valor exorbitante para rescindir o contrato com o seleccionador, tenta por outros meios terminar o contrato com CQ. Mas porque não foi logo directa ao assunto? CQ foi incompetente no Mundial de 2010, não atingiu os objectivos (nunca podiam ser só os oitavos de final depois de termos ficado em 4º no Mundial de 2006!!), por isso havia justa causa para o despedir!

Voltando à entrevista, CQ pensava que conseguia dar a volta ao texto mas teve pela frente um entrevistador que traduziu bem o sentimento geral do povo português para com o seleccionador: não o queremos mais à frente da selecção! E esse sentimento está patente, igualmente, em certas declarações ontem proferidas quer pelo Ricardo "Lelo" Quaresma ao chegar ao estágio da selecção ("a gente somos adultos e profissionais e não precisamos de treinador; sabemos o que temos a fazer") e pelo próprio Presidente da FPF, Gilberto Madaíl que disse que "a selecção funciona em automático". Ou seja, estas declarações são sintomáticas de que CQ não faz parte dos planos futuros para a selecção.

CQ vai ter agora à perna um novo processo disciplinar, e de processo em processo o mal-estar patente vai aumentando até que CQ saia pela porta pequena - quer porque foi despedido quer porque rescinde ele mesmo!

Sexta a selecção entra em campo para começar a campanha para o Europeu de 2012... com CQ, sem CQ, Ms. Brown só espera que faça um brilharete e que os jogadores que envergam a camisola pensem no país e não nestas tricas de bastidores!

Boa sorte Portugal!

 

 

Ms. Brown às 11:54

Setembro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
11

12
13
15
16
18

19
20
21
23
25

26
27
28
29
30


Posto de Escuta
pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
Conta-gotas
Website counter
blogs SAPO