O Blog da Escorregadela intelectual (versão 2.0)

17
Fev 09

Por: Two Blind Mice

 

Era uma vez um banco que, como todos os bancos, devia ter dinheiro lá dentro. E como banco que era emprestava dinheiro às pessoas. E mesmo não tendo o dinheiro nos cofres, continuava a emprestar.

Passados muitos anos, o banco, mesmo sem dinheiro no banco, continuava a patrocinar as casas, carros, electrodomésticos, móveis, férias e estudos das pessoas que se arriscavam a pedir emprestado e a devolver o dobro anos mais tarde. E o dinheiro continuava a não estar nos cofres.

Depois de emprestar muito dinheiro, houve um dia que um gerente de um banco decidiu fazer contas. E percebeu que as pessoas a quem estava a emprestar pediam cada vez mais e pagavam cada vez menos. O gerente do banco assustou-se e decidiu contar o dinheiro que tinha nos cofres.

Foi aí que percebeu que afinal tinha muito menos dinheiro daquilo que tinha imaginado. Pior ainda, percebeu que ia ter sérias dificuldades em cobrar aos devedores.

Com o susto, o gerente do banco saiu do edifício a gritar “agarrem que é a crise!”. Ao ouvir isto, os outros bancos começaram a fazer contas e todos perceberam que ninguém tinha tanto dinheiro como era de esperar.

E saíram todos à rua a gritar “crise” com as mãos na cabeça.

Ao fim de muito tempo a gritar, os berros chegaram ao alto das torres espelhadas. Um após um, os empresários começaram a abrir as janelas para ouvir melhor.

E a crise chegou-lhes aos ouvidos. Fecharam as janelas muito a medo e chamaram os respectivos directores. “Despeçam! Despeçam! Despeçam”, gritaram em conjunto.

E os directores começaram a despedir. E as pessoas que tinham pedido dinheiro aos bancos deixaram de ter ordenado - que só por si não dava para pagar as dívidas. E os bancos continuaram sem ter o dinheiro de volta. E quanto menos dinheiro tinham, mais gritavam “crise”.

E quanto mais gritavam, mais os gestores ouviam. E à medida que os gestores iam ouvindo, os directores recebiam cada vez mais ordens para despedir. E quanto mais despediam, mais famílias deixavam de poder pagar as dívidas ao banco. E os bancos à espera do dinheiro, e os gestores a despedir...

Reza a história que, pelo meio, os governos ficaram assustados ao ouvir os bancos a gritar crise e resolveram emprestar-lhes dinheiro, para eles não ficarem tão tristes. Mas sobre isto já não falo porque ainda ninguém percebeu muito bem para onde foi o dinheiro...

 

O Viajar estreia assim os posts convidados. O original, ainda restrito, está com os Two Blind Mice!

Mr. Heinz às 17:21

Fevereiro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
12
14

15
19
20
21

22
23
24
28


Posto de Escuta
pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
Conta-gotas
Website counter
blogs SAPO